. Hospital-Dia do HGRS reduz em 83% a fila de espera para cirurgias urológicas na Bahia

Hospital-Dia do HGRS reduz em 83% a fila de espera para cirurgias urológicas na Bahia


Foto divulgação





“Se eu pudesse indicar dez mil vezes, se eu pudesse agradecer, de joelhos, dez mil vezes, eu faria”. Foi assim que o motorista Paulo Cardoso de Oliveira Filho, de 47 anos, respondeu, de imediato, ao ser questionado sobre o atendimento do Hospital-Dia do Hospital Geral Roberto Santos (HD-HGRS). Paciente da unidade desde a criação, em 2018, ele corria o risco de perder o rim se não conseguisse ser operado com rapidez. 

Paulo é um dos 16 mil pacientes que realizaram cirurgia nesses dois anos de funcionamento do HD-HGRS. Mas, no caso dele, o procedimento teve um gosto a mais de vitória, por se tratar de uma demanda urológica – especialidade conhecida, anteriormente, pela longa fila de espera. 

Se antes a média de espera por um procedimento urológico era de mil pacientes, o número, com a chegada do Hospital-Dia, caiu para 170 – o que representa uma redução de 83%. Em 24 meses, 1903 pessoas foram submetidas a cirurgias da especialidade. 

“O Hospital-Dia do Roberto Santos foi a melhor coisa que me aconteceu. A equipe de urologia salvou a minha vida, com a rapidez e a dedicação deles. São pessoas que querem atender. Antes de iniciar o tratamento na unidade, cheguei a ficar 32 dias internado, mas meu problema não era resolvido. Eram tantas dores que eu não conseguia trabalhar”, conta Paulo, que, após a cirurgia de cálculo renal, já consegue se revezar entre as atividades de motorista, barbeiro e montador de móveis.

Um dos responsáveis pelo tratamento de Paulo, o urologista Osvaldo Oliveira Lima Neto conta que a dor causada pela cólica renal é considerada uma das mais importantes da medicina. “Um cálculo obstrutivo leva a um quadro de hidronefrose, que, se não for resolvido, causa a falência do rim, Quando isso acontece nos dois rins, o paciente, inevitavelmente, é encaminhado para a hemodiálise. Com a estratégia de se criar um hospital-dia, a rede pública de saúde conseguiu minimizar as chances de o usuário ter de ser dialisado. Então, há o cuidado com a dor e com a parte funcional do órgão”, relata o médico.

O serviço de urologia do HD-HGRS trata orquiectomia, varicocele, hidrocele e postectomia (fimose). Realiza, ainda, RTU (ressecção transuretral) de próstata e bexiga, além de cirurgias para cálculos no ureter e cálculos no rim (ULT e nefrolitotripsia percutânea). No caso do tratamento para cálculo renal a laser, o Hospital-Dia é o único a fazer o procedimento na Bahia, pelo Sistema Único de saúde (SUS).

Hospital-dia e a Rede Estadual de Saúde

A chegada do Hospital-Dia do Hospital Geral Roberto Santos possibilitou a descentralização das demandas urológicas na Bahia e, também, a redução da pressão nas unidades de urgência e emergência. Permitiu, ainda, que os grandes hospitais, a exemplo do próprio HGRS, passassem a se dedicar mais aos casos de alta complexidade. 

“O Hospital-Dia tem outra dinâmica de internação, com tempo de permanência mais curto. Essa resolutividade fez com que conseguíssemos absorver quase todas as demandas de cálculos do estado e, ao mesmo tempo, tornou possível a abertura de mais turnos no centro cirúrgico do Hospital Geral Roberto Santos para procedimentos complexos como o de câncer”, conta Joabe Carneiro, chefe do serviço de urologia do HGRS. 

Para o diretor-geral do HGRS, o anestesiologista José Admirço Lima Filho, o hospital-dia é um projeto inovador para o SUS, pois, sem a necessidade de manter internado o paciente, a unidade consegue aumentar a produtividade e o giro de leitos para priorizar quem realmente precisa permanecer internado.

“Com o hospital-dia, passamos a oferecer atendimento com mais qualidade e em menos tempo. A gente acaba sendo mais resolutivo sem usar toda estrutura hospitalar, como antes era feito”, avalia o gestor.




Postar um comentário

0 Comentários