. 21 de setembro: Dia de Luta pela inclusão de pessoas com deficiência

21 de setembro: Dia de Luta pela inclusão de pessoas com deficiência

Conquistar uma vaga no mercado de trabalho é o objetivo de milhares de brasileiros e para as pessoas com deficiência (PcDs) essa conquista é ainda mais comemorada. Esta segunda (21/09) é o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência e a Lei de Cotas para PcDs, de 1991, foi o principal incentivo para aumentar a participação desse público no mercado de trabalho com a adesão de muitas empresas.

 

Na rede GBarbosa, por exemplo, a operadora de caixa Moniely Lemos, 24 anos, que teve paralisia cerebral ainda bebê, conquistou uma vaga de trabalho na loja de Serrinha, em 2016. Para ela, trabalhar na rede é a realização de um sonho, pois conseguiu vencer o medo e conquistou uma vaga em uma multinacional, a Cencosud Brasil, uma das maiores supermercadistas do país. Com determinação e coragem, Moniely superou os desafios de operar um caixa e mostrou seu potencial. Muito alegre, comunicativa e comprometida, além de conseguir desempenhar bem suas atividades, ela procura ampliar o conhecimento sobre o varejo realizando cursos e-learning oferecidos pela companhia.


Foto divulgação


 

A Cencosud Brasil conta com uma Política de Diversidade e Inclusão que é reforçada por meio de cursos e-learning e campanhas sobre o tema para fortalecer o clima de respeito e de colaboração no dia a dia das equipes. “Trabalhar numa empresa que promove o respeito e valoriza a diversidade é essencial para o desenvolvimento do nosso time”, afirma Auda Farias, gerente de Recursos Humanos do GBarbosa, Perini e Mercantil.

 

A embaladora Miriam do Nascimento, 48 anos, é deficiente auditiva e está no GBarbosa Costa Azul, em Salvador, há 15 anos. Para ela, o trabalho significa ter dignidade e uma garantia de autonomia financeira. Por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras), Miriam diz que pretende se empenhar ainda mais no trabalho para, no futuro, usufruir de tudo que vem conquistando. 

 

A gerente de Recursos Humanos afirma que a experiência com PcDs tem sido muito positiva para a companhia. “Eles se mostram profissionais engajados, comprometidos e são estimulados a se desenvolverem e crescerem. Em nossa cultura, o tema gente é prioridade nas estratégias e, com isso, fortalecemos o tema diversidade”, pontua Auda.

 

O colaborador Renan dos Santos, 21 anos, portador de uma deficiência visual, também teve seu primeiro emprego, com carteira assinada, no varejo. “Tenho deficiência monocular, já nasci assim, mas minha necessidade não atrapalhou, ela me ajudou a entrar no mercado de trabalho”, conta o operador de supermercado que começou a trabalhar no Mercantil em 2018. Para ele, que revela ter muitos planos, inclusive, crescer na empresa, sendo o trabalho é uma ótima experiência, bem como a convivência com os colegas.

 

Os interessados em trabalhar nas empresas da Cencosud Brasil podem cadastrar dados e conferir as oportunidades em: www.vagas.com.br/cencosudbrasil.

 


Postar um comentário

0 Comentários