. Bar mantém proposta de reforço à cultura mixologista

Bar mantém proposta de reforço à cultura mixologista

Referência na valorização da coquetelaria em Salvador, tendo sido eleito, por dois anos seguidos, o melhor bar da cidade, o Larribar está fechado desde março, por conta da pandemia, mas não esqueceu da sua história e paixão, que o colocaram entre os melhores do mercado. Seguindo os passos de grandes bares ao redor do mundo, o bartender Gabriel Guerra lança a própria linha de bitters, batizados de LarriBitters.

 

Com sabor doce-amargo, os bitters (ou bíteres) são preparados alcoólicos à base de especiarias aromáticas e essências herbais, que, historicamente, foram comercializados como medicamentos de venda livre, antes de passarem a ser consumidos recreativamente. Foi a adição de bitters às bebidas alcoólicas no final do século XIX e início do século XX que definiu uma nova categoria de bebidas mistas que chamamos hoje de coquetel.


Foto divulgação



 

O uso na coquetelaria atual, inclusive, é quase uma regra, principalmente na assinatura de clássicos como Old Fashioned, Manhattan e Sazerac. "Eu arriscaria dizer que os bitters estão para a mixologia como os temperos estão para a gastronomia", resume Guerra, que sempre buscou tratar o Larribar como um balcão-escola, que fosse espaço para aprendizado e massificação da cultura dos drinks.

 

Com a possibilidade de equilibrar o sabor de um drink ou conferir um aroma especial a ele, o Larribitter chega ao mercado brasileiro, hoje o 3º maior consumidor de bitters do mundo. "Credito esse cenário à cultura de consumo diferenciada que foi se criando aos poucos no país, na qual a ida ao bar é uma experiência muito mais contemplativa e degustativa do que uma oportunidade de 'encher a cara'", reflete o bartender.


Mais informações e vendas: @larribar e larribar.minestore.com.br.






Postar um comentário

0 Comentários